FRASES E FRASES ESPECIAL CELSO FURTADO

“Teremos de renunciar a ter uma política de desenvolvimento da mesma forma que renunciamos, no fim do século passado, a ter uma política de industrialização? Devemos aceitar a crescente internacionalização dos circuitos monetários e financeiros com a conseqüente perda da autonomia de decisões? E isso numa fase em que o protecionismo dos países centrais se reafirma? Que conseqüenciais sociais devemos esperar de uma prolongada redução na criação de emprego?

Dois pontos merecem ênfase numa estratégia para enfrentar a crise. O primeiro refere-se à necessidade de que o Brasil assuma iniciativas internacionais visando a encontrar uma solução mais ampla ao problema do endividamento progressivo dos países do Terceiro Mundo. Essa solução terá de ser compatível com a continuidade do desenvolvimento desses países e deverá favorecer a retomada da expansão do comércio internacional. O segundo ponto é que não há política de desenvolvimento se a ação do Estado não se orienta de forma prioritária para a solução dos problemas sociais. Subordinar a política econômica à administração da dívida externa é grave. Mas não é menos subordinar a solução dos mais urgentes problemas de uma sociedade à lógica de um crescimento econômico que não distingue entre o supérfluo e o essencial”

(Economista Celso Furtado in “A Nova Dependência: dívida externa e monetarismo”, de 1983. O que diria o economista sobre as ações e a forma de gerir o Estado durante o governo Lula?)

Imagem retirada daqui

FRASES E FRASES ESPECIAL

“A impressão deixada é que ao aceitar esse convite do MCT eu deixarei de falar o que penso. Ninguém vai me usar para criticar nem o presidente Lula, nem seu governo, nem a presidenta Dilma. Estou aceitando esse convite para contribuir com o Brasil”

(Miguel Nicolelis, considerado um dos maiores pesquisadores na área de neorociência, esclarecendo que não irá ocupar um cargo como funcionário do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), como foi publicado no jornal O Estado de S. Paulo. Jornal este que ainda frisou o fato de Nicolelis está aceitando o cargo mesmo tendo criticado o andamento da ciência no país. O que Nicolelis aceitou foi um convite para participar como voluntário na chamada Comissão do Futuro “para poder aprofundar toda a análise do que está errado na ciência brasileira”, como ele próprio afirmou em seu twitter).

FRASES E FRASES ESPECIAL

“Tem uma restrição colocada na Constituição, mas não está regulamentada. Todos sabem que tem um monte de políticos que tem rádio e televisão e acho que não deveria ser permitido”.(Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmando sua posição contrária a concessão de emissoras de rádio e televisão para políticos)

“Fiz uma avaliação realista, pragmática, de que acho um tema difícil, sensível, por que tem que ser aprovado no Congresso. Até brinquei que é mais fácil votar o impeachment de um presidente do que a revogação de uma concessão de rádio e TV.”

(Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, lembrando o que tinha dito em entrevista na semana passada)

ALGUMAS FRASES DO PRESIDENTE LULA A RESPEITO DA REUNIÃO DO G20

“Como os países ricos costumavam dar lições ao Brasil de como a gente deveria fazer, seria importante que, humildemente agora, eles fossem aprender o que nós fazemos para que eles possam adotar políticas iguais”.

(Dizendo que primeiramente não levará propostas prontas para o G20, mas “ideias a serem discutidas” e obviamente falando sobre o crescimento inegável do Brasil interno e externo, bem como de uma política e economia que não se fecha no interesse do grande capital financeiro especulativo)

“Desde que começou a crise econômica estamos dizendo que só existe uma possibilidade para resolver definitivamente o problema [da crise]: aumentar o comércio entre os países e evitar, de qualquer forma, o protecionismo entre as nações”.

(Evidenciando o quanto o Brasil se torna um exemplo para outros países e sai de sua condição de dependência cultivada antigamente)

“O que é bom para os Estados Unidos é bom para os Estados Unidos. O que é bom para o Brasil é bom para o Brasil”.

(parafraseando alegre e lucidamente a frase de Obama que disse na Índia que o que “for bom para os Estados Unidos será bom para todos” e acrescentou dizendo que o que é ruim para os EUA, em termos econômicos, tem efeitos ruins para o mundo)

“Não é possível que alguns países resolvam desvalorizar suas moedas no intuito de aumentar competitividade, porque causam transtornos a outros que dependem do sequenciamento da política comercial no mundo para seguir crescendo de forma justa.”

(A respeito da “guerra cambial”, alertando que qualquer tomada de decisão interna dos países afetará os demais)

“Não há nenhuma novidade, isso é da Constituição. Em 2002 fizeram uma ‘sacanagem’ comigo e não aprovaram aumento para mim. E eu não reclamei. Mesmo sem aumento, o salário era maior do que eu ganhava na [empresa metalúrgica] Villares”.

(Lucidamente comentando sobre o aumento de salário, que pode ser aprovado pelo Congresso, de congressistas e da presidente eleita Dilma Rousseff. E, evidentemente, dando uma aula de moral política, pois elucida como o regime político democrático-representativo funciona moralmente com base no que é determinado pela lei projetada pelos representantes. E até certo ponto, nos convidando para uma discussão sobre a seguinte questão: a moral é a determinação de princípios gerais (a lei, por exemplo) ou dilemas (entenda problemas produzidos pela existência) que colocam o bem comum em pauta?

“As pessoas fingem que não levamos dez anos discutindo a necessidade de fazer um acordo comercial que era o acordo de Doha. Já faz dois anos e a gente não retomou. Sem que haja um aumento do comércio, do consumo e da produção, fica difícil resolver o problema da crise.”

(A respeito da necessidade de haver um “debate” sobre temas como política monetária, política cambial e comércio).

FRASE DO DIA

“Toma cuidado com os forasteiros, minha gente!”

“Porque nós temos de ter cuidado com os “curiosos” entre aspas, porque eles estão sabendo que a questão homossexual vende revista, disco, jornal. O sistema descobriu que guei lá dá lucro. Todo mundo vai ler, comprar; todo mundo quer descobrir endereço de boate entendida. Depois essas pessoas chegam nas boates, pegam o homossexual, que está lá às vezes encucadíssimo, num fim de caso, usam e abusam da figura. Transa, entrevista, etc., e depois cai fora. Mas cai fora porque a cuca do “curioso” não está preparada para um lance daqueles, de verdade verdadeira. É por isso que um monte de gente por ai está fudida e mal paga: porque se meteu com a pessoa errada, com uns desses turistas do homossexualismo.”

Leci Brandão, cantora engajada do movimento LGBT, e eleitora de Dilma.