UM CASO ECOPOLÍTICO EM PARINTINS

Fonte da imagem: http://parintinsemfoco.blogspot.com/2011/01/igreja-de-sao-benetido.html Segundo moradores do São Benedito, em Parintins, Amazonas, foi por ordem expressa do pároco local, Egídio, que duas árvores antigas da praça do bairro, foram arrancadas na tarde desta quinta-feira, dia 30.

As árvores, um buritizeiro e um cajueiro, compunham um agradável espaço de convivência para os moradores das proximidades, que dia sim e outro também, colocavam cadeiras de embalo debaixo, para aproveitar o frescor da praça, à beira do rio Amazonas.

Não se sabe a razão pela qual o padre extrapolou sua autoridade metafísica, cuja jurisdição não ultrapassa o pós-existência, para alterar o espaço vivencial do povo, a praça. Como somos partidários da filosofia nietzscheana, de que se deve lavar muito bem o corpo depois de estar com um sacerdote, e em nossa cidade, é comum a falta d’água nas manhãs de sábado, ficamos impossibilitados de perguntar a ele sobre as (des)razões do ato.

Imaginamos, talvez, que o padre tenha ficado incomodado com a feira hippie que se juntou à sombra das falecidas, na quadra do festival dos bois Coca-Cola. Ou quem sabe vozes do além sussurraram em seus ouvidos que o povo se embalava enquanto cometia pecados, ou pior, que o povo ali conversava e expiava suas faltas, dialogando uns com os outros, sem necessitar da preciosa mediação da igreja, estabelecendo relação direta com Deus. Vade retro!

Porém, são imaginações. O real, não sabemos, e não queremos cometer injustiças com o padre, afinal de contas, injustiça é território da miséria humana, coisa que a igreja conhece melhor que nós.

De qualquer forma, o povo não gostou. Cartazes acusando o padre de ser antiecológico amanheceram junto aos galhos arrancados e amontoados na calçada. Gente que passava tirava fotos (nós não tiramos, por incompetência mesmo) da manifestação, que pedia a cabeça do padre. Ele, por certo, não esperava a revolta do seu rebanho, afinal de contas, quem faz parte de uma instituição que tenta, há dois mil anos, controlar as produções biopolíticas do corpo, não espera que se incomodem com duas árvores.

Mas o fato é que o padre se arvorou, ao desarvorar a praça, que afinal de contas, é do povo, como o céu é dos pássaros, e não de Deus. Interferência política da igreja nas coisas do mundo. De novo e quase sempre, aliás.

(Em tempo: àqueles que crêem na igreja ou na representação ocidental de Deus, saiba que não cometemos pecado algum ao dizer que o céu é dos pássaros, e não de Deus. É que Deus É os pássaros, o céu, as árvores, a própria vida, todos nós. Até o padre, ainda que sua existência o negue).

Quem nos dera a revolta do povo ultrapassasse a rebeldia e a compaixão pelo cajueiro e buritizeiro, e se materializasse numa negação do controle sobre o corpo e sobre o espaço público. Que libertasse o negro Benedito do jugo do Papa, e o permitisse ser quem ele é, o arauto da alegria democrática. Que, em lugar de pedir outro padre, o povo reinvidicasse a autonomia da praça, e a transformasse em espaço de vida. O Reino de Deus na Terra.

Aí sim, a ecopolítica iria surgir novamente na terra dos Parintintins.

Anúncios

GABARITO DAS PROVAS DA SEDUC/AM SERÁ DIVULGADO HOJE

Para aqueles que fizeram suas provas do concurso da SEDUC/AM e aguardaram o momento permitido para levarem seus papeis de prova, está marcado para hoje a divulgação dos gabaritos. Segundo representante da SEDUC/AM, coordenador da comissão de concurso da Rossieli Silva: “Após o retorno de todos os malotes para o Cespe, divulgaremos o gabarito e os candidatos terão o período de dois dias para interpor recursos”.

Os gabaritos poderão ser conferidos no sitio http://www.cespe.unb.br/

Saúde libera R$ 4,5 milhões para tratamento de pessoas com dengue no Amazonas

Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Ministério da Saúde liberou R$ 4,5 milhões para o tratamento de vítimas da dengue no estado do Amazonas. Desse total, Manaus receberá R$ 1,7 milhão. A capital amazonense enfrenta uma epidemia e responde por mais de 65% dos casos da doença registrados no estado nos dois primeiros meses do ano.

Os recursos serão usados para a compra de medicamentos, soro fisiológico, luvas e outros materiais para tratamento dos doentes. O governo federal autorizou, anteriormente, a liberação de R$ 6,6 milhões ao estado para abertura de leitos em Manaus e contratação de pessoal.

De janeiro a 25 de fevereiro, a Secretaria de Saúde do estado registrou 13.092 notificações (casos suspeitos e confirmados), sendo 8.812 em Manaus. Foram confirmadas oito mortes e 115 casos considerados graves.

Por causa do aumento de casos da doença no início de ano, nove municípios amazonenses estão em situação de emergência. São eles: Manaus, Humaitá, Nova Olinda do Norte, Barcelos, Lábrea, Tefé, Coari, Codajás e Itacoatiara.

Os quatro tipos virais de dengue circulam no Amazonas. O estado registrou dois casos de dengue 4, sorotipo que reingressou no país depois de 28 anos e provocou um surto em Roraima desde o ano passado. A maioria dos brasileiros não tem imunidade contra esse sorotipo, o que aumenta as chances de uma epidemia.

Edição: Juliana Andrade

TSE julgará recurso contra expedição de diploma de governador do Amazonas

Débora Zampier
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Um recurso contra a expedição de diploma do governador reeleito do Amazonas, Omar Aziz (PMN), e de seu vice, José Melo de Oliveira (PMDB), chegou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta semana. Segundo o Ministério Público Eleitoral no Amazonas (MPE-AM), autor da ação, Aziz e seu vice praticaram abuso de poder econômico e político por uso indevido dos meios de comunicação social nas eleições do ano passado.

De acordo com o Ministério Público, Aziz veiculou, entre 1º de maio e 5 de julho de 2010, 30 peças de propaganda institucional do governo em rádios e TVs do Amazonas, totalizando mais de 6,5 mil inserções ao custo de R$ 4,08 milhões. O período é anterior ao permitido por lei para o início da propaganda eleitoral, autorizada a partir do dia 6 de julho.

O órgão afirma que as peças fizeram propaganda eleitoral subliminar em favor de Aziz, o que é vedado por lei. Por esses motivos, o MPE pede a cassação dos diplomas.

O caso chegou ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-MT), em dezembro do ano passado, e foi encaminhado ao TSE sem julgamento porque a legislação determina que só a corte superior pode analisar esse tipo de recurso. A relatora do recurso é a ministra Cármen Lúcia Rocha.

Edição: Lana Cristina

EDITAL CONCURSO SEDUC AMAZONAS 2011

Do Portal Amazônia:

06 de janeiro de 2011

Larissa Balieiro – portalamazonia@redeamazonica.com.br

MANAUS – A Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) lançou nesta quinta-feira (06) o edital referente ao Concurso Público para a rede pública de ensino do Amazonas. São oferecidas 7.657 vagas no certame. As inscrições começam na próxima segunda-feira (10) e seguem até o dia 3 de fevereiro.

Serão 3.226 vagas para a capital e 4.431 para os 62 municípios do interior do Estado. As vagas são destinadas para nível superior (6.297 vagas), médio e fundamental e distribuídas entre os cargos de professor, pedagogo, bibliotecário, nutricionista, psicólogo, assistente social, estatístico, contador, assistente administrativo e merendeiro.

Para o cargo de professor com carga horária de 20h são oferecidas 2.923 vagas para o interior com remuneração de R$ 1.174,89. Já para os cargos de professores com carga horária de 40h, serão 2.185 vagas para a capital e 815 para o interior, com remuneração de R$2.349,78.

As disciplinas exigidas para o cargo de professor são os componentes curriculares para áreas dos anos iniciais, português, inglês, artes, matemática, história, geografia, educação física, religião, ciências, biologia, química, física, filosofia, sociologia, espanhol, educação especial I, II, III e IV.

Para nível médio, o edital dispõe 757 vagas para os cargos de assistente administrativo com salário de R$ 746,71. O nível fundamental oferece 603 vagas para merendeiros com remuneração de R$ 623,36. Ambos devem cumprir 30 horas de trabalho semanais.

Cronograma
As provas discursivas e objetivas serão aplicadas no dia 17 de abril, com duração de 3h30. Para o nível superior, a prova será aplicada no horário da manhã. Para o nível fundamental e médio, as provas objetivas serão aplicadas durante o período da tarde. Para o cargo de merendeiro, os candidatos devem fazer prova prática após o resultado da seleção das provas.

Inscrições
A taxa de inscrição para nível superior é R$ 70, nível médio R$ 55 e nível fundamental R$ 40. As taxas devem ser pagas até o dia 1º de março de 2011. A ficha de inscrição está disponível no site www.cespe.unb.br. A Seduc ainda disponibilizou 14 escolas com acesso à Internet para os candidatos efetuarem as inscrições. A relação das instituições está disponível no site da organizadora do concurso.

A relação dos locais de provas também deve ser publicada no site da Cespe. O resultado da seleção será divulgado em julho deste ano. O concurso para a área de Educação é o segundo maior do País em número de vagas, atrás de São Paulo que oferece 10 mil vagas para a rede pública daquele Estado. Desde 2003, a Seduc não realiza concurso público para preenchimento de vagas na rede básica de ensino.

Processo Seletivo
A Seduc também organiza Processo Seletivo Simplificado (PSS) para preenchimento de vagas na rede estadual de ensino. O objetivo é que os profissionais já possam assumir as funções no retorno das atividades escolares, no próximo dia 03 de fevereiro. Os professores selecionados para regime temporário vão constituir cadastro de reserva do concurso.

O PSS está sendo coordenado pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). As inscrições podem ser feitas apenas pelo www.concursoscopec.com.br a partir da próxima segunda-feira (10) e seguem até a quinta-feira (13). Os cargos possuem remuneração equivalente a R$ 1.174,89 para regime de 20 horas semanais e R$ 2.349,78 para 40 horas semanais.

O candidato deve apresentar ficha de inscrição no posto da escola onde pretende trabalhar. Os postos de efetivação do cadastro são as escolas: E.E Barão do Rio Branco, Nossa Senhora da Divina Providência, Sólon de Lucena, Presidente Castelo Branco, Ernesto Penafort e Aldeia do Conhecimento Profª Ruth Prestes Gonçalves.

RECURSOS DO FUNDEB PARA O AMAZONAS

De acordo com dados publicados no Diário Oficial da União dia 31 de dezembro de 2010, os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para 2011, a serem distribuídos aos estados do Brasil, já podem ser consultados.

Para o estado do Amazonas estimasse que o  repasse do Fundeb em 2011 seja  de R$ 1,9 bilhões.sendo dividido da seguinte maneira:

  • R$ 908 milhões seguirão para a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e
  • R$ 401 milhões ficarão com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) de Manaus.

O valor dos recursos distribuídos pelo Fundeb pode ser revistos de acordo com a mudança da receita durante o ano. Daí ser importante os gestores municipais e estaduais estarem atentos para organizarem o planejamento orçamentário da área da Educação, uma vez que a principal ação do Estado é o de melhor gerir seus recursos para proporcionar o bem comum a todos.

Segundo site do Ministério da Educação o

“O Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) atende toda a educação básica, da creche ao ensino médio. Substituto do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), que vigorou de 1997 a 2006, o Fundeb está em vigor desde janeiro de 2007 e se estenderá até 2020.

É um importante compromisso da União com a educação básica, na medida em que aumenta em dez vezes o volume anual dos recursos federais. Além disso, materializa a visão sistêmica da educação, pois financia todas as etapas da educação básica e reserva recursos para os programas direcionados a jovens e adultos.

A estratégia é distribuir os recursos pelo país, levando em consideração o desenvolvimento social e econômico das regiões — a complementação do dinheiro aplicado pela União é direcionada às regiões nas quais o investimento por aluno seja inferior ao valor mínimo fixado para cada ano. Ou seja, o Fundeb tem como principal objetivo promover a redistribuição dos recursos vinculados à educação.

A destinação dos investimentos é feita de acordo com o número de alunos da educação básica, com base em dados do censo escolar do ano anterior. O acompanhamento e o controle social sobre a distribuição, a transferência e a aplicação dos recursos do programa são feitos em escalas federal, estadual e municipal por conselhos criados especificamente para esse fim. O Ministério da Educação promove a capacitação dos integrantes dos conselhos”

Maiores informações aqui.