Arquivo da categoria: Rock n Roll

Fundador e diretor do Wikileak é “Estrela do Rock”

 

"O homem que caiu (da rede) na terra",

A revista Rolling Stone (edição italiana) concedeu nesta segunda-feira (13/12) ao fundador e diretor do Wikileaks, Julian Assange, o prêmio de “Estrela do Rock”, que é concedido anualmente a uma personalidade que se destaque por seu “caráter e temperamento rock & roll”.

Anúncios

PARA COMEÇAR A SEMANA, DO RECIFE ZÉ PILINTRA

Texto daqui

Com uma proposta inovadora que une toques contemporâneos de cordas distorcidas e vocais agressivos, utilizando-se por vezes de elementos sonoros da Umbanda e Candomblé. Esse mix sonoro foi uma das causas de inspiração que originou o nome Zé Pilintra, como é conhecido um dos grandes mestres de uma das vertentes religiosas afro-brasileiras, a Umbanda. Considerado ícone maior representativo do arquétipo do malandro notável, a figura do mestre Zé Pilintra chegou a ser usada no cartaz do espetáculo teatral Ópera do Malandro, de Chico Buarque realizado em todo Brasil e pela Europa na década de 1970.

Depois de colher frutos nos pomares regionais, a Zé Pilintra adentra o universo do rock clássico progressivo envenenando guitarra, baixo e vocais agressivos numa ênfase enfurecida às tendências do rock (heavy metal e blues-rock) do fim dos anos 60 e início dos anos 70 como Led Zeppelin. Regional e Rock N´Roll de primeira. Perfeita combinação que resulta numa diversidade rica em influências, tão bem executada há mais de uma década pelos músicos pernambucanos como: Alceu Valença, Ave Sangria e Lula Côrtes nos anos 70 e pelas bandas do movimento Mangue beat como: Chico Science e Nação Zumbi, Mundo Livre S/A e Devotos, fazendo parte da cena pós mangue beat, embebidos na ausência e da psicodélica musical do grande expoente da música pernambucana, o saudoso de Chico Science.

Após passar por algumas formações e beber em várias fontes, dentre elas a música eletrônica finalmente a Zé Pilintra chegou à formação que tanto buscou: Guto TriEgg (Vocal),Marcelo Zaion (Baixo, samplers e vocal), André Gordo (Guitarra) e Hélder Cavalão (bateria). Formação essa que inovou o espetáculo com uma performance teatral e enriqueceu a sonoridade da banda com samplers com cantigas do candomblé e batidas eletrônicas.

Puderam conferir o regional progressivo e a malandragem típica do Zé Pilintra:
• Pólo Intinerante Carnaval de Olinda 2007.
• Papillon Bar (Pipa-RN).
• Quintal do Lima .
• Festival Cena Musical.BR 2008.
• Convenção de Tatuagem de Pernambuco 2008.
• Palco Forrock (São João de Arcoverde) .
• VII Feira da Música do Ceará, considerado um dos eventos mais importantes no gênero no Brasil .
• Pátio de São Pedro (point alternativo de Recife).
• Projeto “Esse é o Som do Recife” no Bar “O Burburinho” .
• Praça do trabalho no bairro de Casa Amarela.
• Festival Música Recife (promovido pela Prefeitura da cidade do Recife para lançar o site oficial da música da cidade http://www.musicarecife.com).
• Rock N´Roll Party com Dj Elcy.
• Carnaval de Olinda 2009.
• Tributo a Chico Science – Orákulo Bar, Maceió-AL.

A BANDA
Guto Triegg – vocal
Marcelo Zaion – baixo e vocal
André Gordo – guitarra
Hélder Cavalão – bateria

PARA COMEÇAR A SEMANA – Rage Against The Machine – War Within A Breath (EZLN & Subcomandante Marcos)

PARA COMEÇAR A SEMANA: “Lou Reed – Walk On The Wild Side”

Lou Reed, cujo verdadeiro nome é Lewis Alan Reed, nasceu em 02 de março de 1942, em Nova Iorque (Estados Unidos). Ele tomou suas primeiras lições de piano aos cinco anos, mas vai logo abandonar esse instrumento de uma guitarra, um sabor mais moderno.

Em 1958, como membro da Jade, compôs suas primeiras músicas, sem muito sucesso. Ao completar seus estudos, entrou em uma gravadora como compositor escritor. Essas composições eram imitações dos sucessos do momento.

Lou Reed inventou um novo ajuste para a guitarra, "Guitar avestruz", onde todas as cordas são colocadas em aberto na  mesma nota. Lou Reed contrata os serviços de John Cale, Sterling Morrison, e Daryl Angus MacLise para formar um novo grupo de avant garde, "Velvet Underground".

Embora o grupo de talento não seja reconhecido de imediato, "Velvet Underground" faz uma contribuição importante para a história do rock. Em 1970, depois de quatro álbuns de estúdio e dezenas de concertos, Lou Reed decide deixar o grupo.

Ele voltou a solo, dois anos depois com seu álbum de estréia que não atendeu os anseios do seu público. No ano seguinte, finalmente viu sua carreira decolar com a canção "Walk On The Wild Side", que permanece até hoje como o mais famoso hit. Em 1975, entre o álbum cult "Berlin" (1973) e "Coney Island Baby" (1976).

Lou Reed lançou o que permanece até hoje como o mais estranho álbum já registrado: "Metal Machine Music", uma série de dispositivos sonoros e ruídos eletrônicos que mostram todo o talento, mas também a loucura e os interesses comerciais do artista.

Após este período de intensa produção, Lou Reed vai continuar a acumular um álbum a cada três anos. Estes álbuns raramente têm destaque na mídia por causa da escuridão de suas letras, genuínas pérolas artísticas.

"Nova York", em 1989, "Hudson River Wind Meditations", em 2007, através de "Magic and Loss", em 1992, ou "The Bells" Lou Reed, em 1979, estabeleceu-se como um grande compositor e continua a deliciar os seus fãs com cada uma de suas novas obras.