Çairé 2011 movimenta Alter do Chão

Da Agência Pará de Notícias:

Na noite deste sábado. 17, mais de 15 mil pessoas prestigiaram o Festival dos Botos Tucuxi e Cor de Rosa, na vila de Alter do Chão, no município de Santarém, oeste do Estado. O espetáculo agregou dança, teatro, música, história e efeitos especiais para contar a lenda do homem boto da Amazônia e contagiou pessoas de diversos lugares do país e até do exterior, no Sairódromo, palco das apresentações.

Para contar a lenda do boto da Amazônia, um belo rapaz que seduz uma cabocla, todos os anos, as associações escolhem uma temática para contextualizar a lenda. Os dois grupos disputam o mérito de oferecer ao público a mais bela apresentação. Este ano, o enredo escolhido pelo Tucuxi foi “O encanto do Sairé”, que contou a origem do Sairé, a mais antiga manifestação religiosa cultural da Amazônia. Já o boto Cor de Rosa teve como temática “Santarém, um poema de amor”, que contou a história do município, destacando personagens ícones da região, como o maestro Wilson Fonseca.

O Festival dos Botos é um dos momentos mais aguardados pelos participantes do Sairé. E a participação do público também faz parte do espetáculo. O Sairódromo é dividido nas cores azul e cor de rosa e cada lado vibra apenas com a apresentação do seu boto. Os espectadores torcem durante toda a performance de seu boto preferido, contagiando o ambiente.

O boto vencedor será conhecido apenas nesta segunda-feira (19). Mas para os torcedores o resultado já foi anunciado. Para Adriana Araújo, torcedora do boto Cor de Rosa não há dúvidas quanto ao resultado. “O boto Cor de Rosa foi o mais belo e levará o título”. Já para Clodoaldo Cavalcante, torcedor do Tucuxi, o resultado será outro. “É o boto mais original e com a apresentação mais emocionante”.

Jurados

O julgamento da mais bela apresentação é feito por pessoas de outros estados para que haja imparcialidade. Os jurados são pessoas que têm ligação com arte e história. Para uma das convidadas, Lourdes Macena, doutoranda em arte e presidente da Comissão Nacional de Folclore, a personificação da lenda do boto que ela conhecia apenas na narrativa foi surpreendente. “Fiquei encantada e emocionada de ver a parte cênica de forma tão criativa e bela”.

Para ela, um dos quesitos mais chamativos foi a marcação do carimbó na maior parte da apresentação, perfazendo as apresentações. “Me chamou a forte presença do carimbó em torno do teatro que eles fizeram e a presença de algumas figuras amazônicas como é o caso do pajé. Para mim que vim do Ceará foi maravilhoso conhecer a Amazônia de forma resumida, através desse espetáculo”, disse.

Origem

Segundo o presidente do Centro Comunitário da Vila de Alter do Chão, Mauro Vasconcelos, as apresentações dos botos foram incorporadas à festa do Sairé em 1997, a partir de uma iniciativa dos próprios moradores da vila. Um grupo local, o Cheiro do Sairé, apresentava a lenda de forma coreografada. Em 1997, os moradores reuniram-se e decidiram apresentar a lenda incluindo dois botos, o Tucuxi e o Cor de Rosa. A iniciativa agradou tanto que, no ano seguinte, os moradores passaram a contar a história em apresentações separadas.

A partir de 1999, as associações passaram a disputar qual a melhor encenação. “Para estimular uma festa ainda mais bonita, fazemos as apresentações entre os botos Tucuxi e Cor de Rosa, mas a disputa se resume ao dia do espetáculo. Durante todo o ano, trabalhamos juntos para a realização das apresentações e dos demais momentos da festa”, informa Mauro Vasconcelos.

Investimentos

Todos os anos o Governo do Estado contribui para a realização do Sairé.“Mas este ano, o governo decidiu também agir de forma estratégica e investiu nas ações mais duradouras na festa. Atendemos a uma solicitação antiga das associações, que era a construção dos barracões sede, que será maior para uma melhor preparação da festa. Também trouxemos o projeto de inclusão digital Navegapará, que ficará permanentemente na comunidade local”, pontuou o secretário de Estado de Comunicação, Ney Messias, representante do Governo no festival.

A Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop) formulou e entregou para as associações o projeto para construção dos barracões, que irão abrigar materiais e equipamentos utilizados na produção do Festival dos Botos. Para a construção destes, o governo irá repassar recursos na ordem R$ 1,6 milhão. E através da Empresa de Processamento de Dados do Estado (Prodepa) Alter do Chão passou a integrar o projeto de inclusão social e digital do Estado, o NavegaPará, que beneficiará toda a comunidade com internet gratuita e de qualidade.

Através da Secretaria de Comunicação do Estado (Secom), o Governo investiu na festa com projetos de divulgação. Os veículos de comunicação do Governo divulgaram o evento, inclusive com a transmissão ao vivo pela TV Cultura do Festival dos Botos. Outro produto foi a criação do site da festa (www.saire.pa.gov.br). Também houve divulgação internacional nas revistas de bordo nas empresas aéreas, como a TAP- Transporte Aéreo Português e Gol Linhas Aéreas. Na programação cultural do Sairé, o governo participou com a realização do show Terruá Pará, que apresentou 45 artistas paraenses, no evento.

Manuela Viana – Secom

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s