A VOZ DA COMUNIDADE versus O GAROTO DA VEJA: a batalha dos meninos do Alemão contra a grande mídia

Renê Silva é um garoto que cresceu no Complexo do Alemão. Como muitos outros, é atravessado por inúmeros enunciados, produções sociais, das pessoas que ali convivem e fizeram de lá – apesar da miséria, produção social da imobilidade dos governos – um lar.

Prova disso é que o desejo de se expressar, comunicar, falar, refletir no espelho social aquilo que é produção comunitária se materializou na Voz da Comunidade, primeiro jornal comunitário do Complexo do Alemão.

O jornal é pulsão desejante, movimento intensivo de quem percebeu – a tempo! – que não precisa dos aparelhos de estado, do tal controle social, para se sentir necessário e partícipe da produção de condições de existência no planeta Terra.

Mas a moçada do Alemão precisa observar algo:  o capitalismo e a sua mídia domesticada – estes que não são capazes de produção desejante, pois estão ancorados ao Significante Despótico do Capital, condicionados a uma ordem exógena e anti-natural – se alimentam da produção do outro. Sem esta, desabariam, ou desmanchariam-se no ar.

É difícil usar a grande mídia sem ser também usado por ela. Renê caiu nas graças das co-irmãs siamesas, Record e Globo. O público da favela deixou de frequentar as páginas policiais para surgir nas pautas de programas de entretenimento e até de exploração light da miséria social.

Ou seja, nada de movimento intensivo. A dupla Globo/Record não se interessa pela riqueza intelectual e cultural desses meninos livres, mas pela força incipiente despertada pela também incipiente distribuição de renda realizada no octênio Lula, e que continua no governo Dilma.

Em resumo: as tevês não são capazes de perceber a importância social da iniciativa de Renê e amigos. Interessa-lhes apenas que a favela seja capturada no espelho narcísico do capital, se apaixone por aquilo que não é, e ajude a velha mídia a recuperar (e aumentar) o público consumidor que efetivamente tem perdido com as novas formas de utilização da mídia.

Por isso, o trabalho da Voz da Comunidade é tão importante. Se seguirem acreditando que são capazes, os meninos do Alemão comunicarão ao seu público que eles também podem criar uma existência menos dolorosa, sem a necessidade do espectro global/recordiano, ou qualquer outro. Mas se o brilho dos holofotes e o sorriso do garoto propaganda do programa teratológico substituírem o brilho natural do olhar de Renê, quem terá vencido novamente será a miséria social.

Anúncios

2 Respostas para “A VOZ DA COMUNIDADE versus O GAROTO DA VEJA: a batalha dos meninos do Alemão contra a grande mídia

  1. Pingback: A VOZ DA COMUNIDADE versus O GAROTO DA VEJA: a batalha dos meninos … | Follow News

  2. onde está voce biscoito, que não me atende?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s