Proposta de cessar-fogo deve ser analisada por Conselho de Segurança na quinta-feira

Do Portal RFI
O secretário geral da ONU Ban Ki-moon (segundo à direita ) com o enviado especial da ONU na Líbia,  Abdel-Elah Mohamed Al-Khatib (à direita) durante briefing sobre a aplicação da resolução autorizando o recurso à força  na Líbia.

(O secretário geral da ONU Ban Ki-moon (segundo à direita ) com o enviado especial da ONU na Líbia, Abdel-Elah Mohamed Al-Khatib (à direita) durante briefing sobre a aplicação da resolução autorizando o recurso à força na Líbia. UN Photo/Eskinder Debebe)

De acordo com a porta-voz do ministério das Relações Exteriores francês, o Conselho de Segurança da ONU poderá debatar a proposta de cessar-fogo na Líbia feita pela Rússia, durante uma nova reunião para avaliar a crise no país que acontecerá na quinta-feira.

A Rússia absteve-se da votação que aprovou a resolução 1973, prevendo intervenção militar internacional na Líbia para conter a violência entre as tropas do ditador Muammar Kadafi e os insurgentes que exigem a sua demissão. Os russos ainda condenaram a série de bombardeios realizados pela coalizão, liderada por França, Reino Unido e Estados Unidos.

A ONU anunciou hoje que o enviado especial da organização na Líbia, o jordaniano Abdel-Elah Mohamed Al-Khatib, conversou no final da noite de segunda-feira com a direção das forças rebeldes líbias em Tobruk. Enquanto isso, o comissário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, está em visita oficial a Tunis, na Tunísia, vizinha da Líbia. Al-Khatib encontrou-se com o presidente do Conselho Nacional de Transição, Mustafa Abdel Jalil, ex-ministro da Justiça da Líbia, e ouviu dele as reivindicações dos rebeldes.

Nesta terça-feira, foram registrados violentos confrontos entre insurgentes e aliados do ditador Muammar Kadafi na região de Yefren, a sudoeste de Trípoli, matando nove pessoas e ferindo dezenas. Os combates haviam se iniciado na segunda-feira. Os habitantes reclamam que a intervenção internacional tardou a chegar e por isso os apoiadores de Kadafi conseguiram retomar posições, evitando que os feridos fossem levados aos hospitais da região e que as famílias consigam abandonar a cidade. Problema semelhante está enfrentando a cidade de Zintan, no noroeste do país. Entre ontem e hoje, ao menos 40 pessoas morreram em confrontos nesta região.

O Parlamento espanhol aprovou hoje, por grande maioria, a participação da Espanha na operação militar internacional na Líbia. O país deverá contribuir com quarto caças F-18 e um avião de abastecimento. A participação espanhola foi aprovada por 336 deputados. Somente três parlamentares votaram contra.
Dois aviões espanhois já haviam participado de missões de reconhecimento do espaço aéreo líbio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s