ALGUMAS FRASES DO PRESIDENTE LULA A RESPEITO DA REUNIÃO DO G20

“Como os países ricos costumavam dar lições ao Brasil de como a gente deveria fazer, seria importante que, humildemente agora, eles fossem aprender o que nós fazemos para que eles possam adotar políticas iguais”.

(Dizendo que primeiramente não levará propostas prontas para o G20, mas “ideias a serem discutidas” e obviamente falando sobre o crescimento inegável do Brasil interno e externo, bem como de uma política e economia que não se fecha no interesse do grande capital financeiro especulativo)

“Desde que começou a crise econômica estamos dizendo que só existe uma possibilidade para resolver definitivamente o problema [da crise]: aumentar o comércio entre os países e evitar, de qualquer forma, o protecionismo entre as nações”.

(Evidenciando o quanto o Brasil se torna um exemplo para outros países e sai de sua condição de dependência cultivada antigamente)

“O que é bom para os Estados Unidos é bom para os Estados Unidos. O que é bom para o Brasil é bom para o Brasil”.

(parafraseando alegre e lucidamente a frase de Obama que disse na Índia que o que “for bom para os Estados Unidos será bom para todos” e acrescentou dizendo que o que é ruim para os EUA, em termos econômicos, tem efeitos ruins para o mundo)

“Não é possível que alguns países resolvam desvalorizar suas moedas no intuito de aumentar competitividade, porque causam transtornos a outros que dependem do sequenciamento da política comercial no mundo para seguir crescendo de forma justa.”

(A respeito da “guerra cambial”, alertando que qualquer tomada de decisão interna dos países afetará os demais)

“Não há nenhuma novidade, isso é da Constituição. Em 2002 fizeram uma ‘sacanagem’ comigo e não aprovaram aumento para mim. E eu não reclamei. Mesmo sem aumento, o salário era maior do que eu ganhava na [empresa metalúrgica] Villares”.

(Lucidamente comentando sobre o aumento de salário, que pode ser aprovado pelo Congresso, de congressistas e da presidente eleita Dilma Rousseff. E, evidentemente, dando uma aula de moral política, pois elucida como o regime político democrático-representativo funciona moralmente com base no que é determinado pela lei projetada pelos representantes. E até certo ponto, nos convidando para uma discussão sobre a seguinte questão: a moral é a determinação de princípios gerais (a lei, por exemplo) ou dilemas (entenda problemas produzidos pela existência) que colocam o bem comum em pauta?

“As pessoas fingem que não levamos dez anos discutindo a necessidade de fazer um acordo comercial que era o acordo de Doha. Já faz dois anos e a gente não retomou. Sem que haja um aumento do comércio, do consumo e da produção, fica difícil resolver o problema da crise.”

(A respeito da necessidade de haver um “debate” sobre temas como política monetária, política cambial e comércio).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s